Santos x Palmeiras completa 100 anos em 2015; relembre 10 jogos marcantes

O clássico Santos e Palmeiras completa 100 anos no próximo mês de outubro. O primeiro duelo foi um amistoso, em 3 de outubro de 1915, no campo do Velódromo, em São Paulo, e foi um massacre alvinegro: 7 a 0 contra o ainda Palestra Itália

Mas, com o passar dos anos, o Palmeiras foi se tornando o maioral no duelo. Hoje, são 129 vitórias do Verdão contra 96 do Peixe (mais 80 empates).

O principal período da rivalidade se deu do fim dos anos 50 até o início dos 70. Nessa época, o Palmeiras foi o único a fazer frente ao Santos de Pelé em São Paulo (além do Botafogo, no Rio). De 1958 a 1969, só Santos e Palmeiras conquistaram o Paulistão – seis títulos do Peixe e três do Verdão. O nível técnico daqueles jogos era tão alto que os torcedores mais antigos passaram a se referir aos duelos entre Santos e Palmeiras como “o clássico da saudade”.

Os times voltam a se enfrentar nesta quarta-feira, às 22h, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista. O Santos está invicto, e o Palmeiras vem crescendo à medida em que os 19 reforços vão se entrosando. Dois deles saíram brigados do Peixe (o goleiro Aranha e o volante Arouca, sendo que só este último será titular) e são hoje treinados por Oswaldo de Oliveira, demitido do próprio Santos em setembro passado

A rivalidade é histórica, e o GloboEsporte.com listou aqui dez clássicos marcantes nessa trajetória, com cinco sucessos para cada lado.

Confira as vitórias santistas:

Santos 7 x 6 Palmeiras, 1958

É considerado pelo ex-ponta-esquerda Pepe como um dos maiores jogos da história do futebol paulista. A partida, pelo Torneio Rio-São Paulo, foi tão eletrizante que jornais da época relataram pelo menos cinco casos de pessoas infartadas enquanto ouviam o jogo pelo rádio. O Santos fechou o primeiro tempo vencendo por 5 a 2, tomou a virada, mas tornou depois a passar à frente do placar. Pepe conta em sua biografia que, no ônibus (de linha) que levava o time de volta a Santos, o cobrador lhe perguntou quanto havia sido o jogo. Ao ouvir a resposta do jogador, o funcionário da empresa de transportes se irritou e o classificou como “mentiroso”. O jogo é tão famoso que ganhou um verbete especial na Wikipédia.

Palmeiras 0 x 1 Santos, 1995

O Santos vivia seu jejum de títulos quando uma equipe que poucos acreditavam passou a emendar uma série de vitórias no fim do Brasileirão de 1995. Liderado por Giovanni , o Peixe venceu cinco jogos seguidos para conseguir a classificação às semifinais. O mais difícil deles, disparado, foi o contra o Palmeiras, numa noite de quarta-feira, no Pacaembu. Numa partida truncada, com poucos espaços, Giovanni resolveu a parada com um toque genial de calcanhar para Vagner, um volante que saía bem para o ataque. Apelidado de “Vagner Pelé”, o jogador deu um corte seco no zagueiro palmeirense e bateu forte e rasteiro para fazer o único gol da partida

Santos 3 x 2 Palmeiras, 2000

O jejum de títulos, porém, ainda continuava. E o Santos teve uma boa chance de acabar com ele no Campeonato Paulista de 2000. Num jogo disputado ao meio-dia, no Morumbi, o Palmeiras jogava pelo empate e saiu na frente logo com 2 a 0. A virada parecia impossível. Não era. Eduardo Marques fez o primeiro, de fora da área. Anderson, de cabeça, empatou o jogo. E o Santos virou aos 44 do segundo tempo, com um gol polêmico – o zagueiro Claudiomiro dividiu no alto com o goleiro Marcos, e a bola sobrou para Dodô. O centroavante só teve o trabalho de empurrar para a rede, e ainda saiu pedindo silêncio à torcida alviverde. Dois anos depois, ele faria parte do elenco que todo palmeirense quer esquecer – o do primeiro rebaixamento no Brasileirão.

Santos 5 x 1 Palmeiras, 2005

O jejum de títulos já era coisa do passado, mas o Palmeiras continuava sendo uma pedra no sapato dos santistas (veja abaixo). Até que, em 2006, com Vanderlei Luxemburgo no banco, o Peixe atropelou o Verdão na Vila Belmiro: 5 a 1. Luis Alberto (dois), Wellington Paulista (dois) e Jonas fizeram os gols do Santos, e Juninho Paulista descontou para o Palmeiras. Curiosidade: o time alviverde era comandado pelo hoje corintiano Tite, que seria demitido semanas depois

Palmeiras 2 x 3 Santos, 2009

Os dois times voltaram a se encontrar numa semifinal de Paulistão em 2009, num jogo tenso. Já com Ganso e Neymar, o Peixe venceu por 3 a 2, mas o “destaque” foi a participação de Domingos. O zagueiro entrou no segundo tempo com a missão de provocar a expulsão de Diego Souza, o melhor jogador do Palmeiras. A tática do técnico Vagner Mancini era irritar o adversário. E ele conseguiu. Num chilique histórico, Diego Souza trocou cabeçadas com Domingos, foi expulso, surtou e tentou seguir com a briga fora de campo.

Confira as vitórias palmeirenses:

Palmeiras 2 x 1 Santos, 1959

Os torcedores mais antigos sabem bem: o único time paulista capaz de enfrentar o Santos de Pelé de igual para igual era o Palmeiras. De 1958 a 1969, só Peixe e Verdão conquistaram o Paulistão – seis títulos do Alvinegro e três do Alviverde. Os torneios eram por pontos corridos, mas em 1959 os dois times terminaram empatados. Houve, então, o que se chamou de “melhor de três” – o primeiro time que fizesse quatro pontos (vitória valia dois) seria o campeão. Houve empate nos primeiros duelos. No terceiro, o Palmeiras venceu por 2 a 1 e ficou com o título que se convencionou chamar de “Supercampeonato Paulista”.

Santos 0 x 6 Palmeiras, 1996

Santos e Palmeiras viveram períodos de vacas magras a partir do fim dos anos 70, com as aposentadorias de Pelé e Ademir da Guia, respectivamente. Mas o Verdão se recuperou primeiro. Na década de 90, com o dinheiro da Parmalat, o Palmeiras montou alguns supertimes. Um deles foi o de 1996, que fez 102 gols no Paulistão daquele ano. Seis deles foram contra o Santos, em plena Vila Belmiro. Uma goleada que deixou marcas no Peixe – revoltada, a torcida alvinegra depredou o estádio. Cléber (duas vezes), Rivaldo (também duas), Cafu e Djalminha fizeram os gols do Palmeiras.

Palmeiras 2 x 1 Santos, 1999

O foco do Palmeiras em 1999 era a Libertadores. Por isso, o técnico Luiz Felipe Scolari resolveu poupar alguns de seus titulares na semifinal do Campeonato Paulista contra o Santos. No Morumbi, o Peixe saiu na frente. Mas, no intervalo, Felipão resolveu mandar a campo Júnior, Zinho e Paulo Nunes. Resultado: o Verdão virou e se classificou para a decisão do Paulistão, contra o Corinthians, com gols de Oséas e Paulo Nunes.

Santos 0 x 4 Palmeiras, 2004

O Santos tinha Diego e Robinho, e o Palmeiras havia acabado de voltar para a Série A do Campeonato Brasileiro, quando os dois times se enfrentaram na Vila Belmiro, no dia 23 de maio. Foi um passeio palmeirense. Com dois gols em cada tempo, o Verdão atropelou o Santos, que, mais tarde, ainda se recuperaria da derrota e, já sem Diego, tornaria-se campeão nacional mais uma vez. Vagner Love (duas vezes), Elson e Muñoz fizeram os gols do Palmeiras, que foi comandando por Wilson Coimbra. O técnico do Santos era Vanderlei Luxemburgo, o mesmo do Palmeiras que venceu o Santos na mesma Vila por 6 a 0, oito anos antes.

Santos 3 x 4 Palmeiras, 2010

Mais uma geração de Meninos da Vila viu o Palmeiras como pedra em seu sapato. O Santos do primeiro semestre de 2010 atropelava seus adversários quase como o Verdão fazia em 1996. Quando o Alvinegro abriu 2 a 0 no placar ainda no início de jogo, parecia que vinha mais uma goleada pela frente. Nada feito. O Palmeiras virou e venceu por 4 a 3. Num dos gols (o segundo, marcado por Robert), o colombiano Armero, autor da assistência, comemorou com o que veio a ser chamado de “Armeration” – uma livre adaptação do “Rebolation”, ritmo da moda na época.

Bônus track

Um empate entre Santos e Palmeiras também entrou para a história do futebol. O Peixe vencia por 2 a 1 quando Jorginho, aos 46 minutos do segundo tempo, chutou. A bola ia para fora, mas bateu no árbitro José de Assis Aragão e entrou. Gol de juiz! Os santistas, claro, ficaram furiosos, mas o gol foi validado. “Eu não tenho culpa, a bola bateu, eu estou dentro do campo de jogo, eu faço parte do jogo. Ela bateu e entrou. Não tenho culpa. É gol”, disse Aragão, na saída de campo.

Bônus track 2

Em fevereiro de 2012, comemorando aniversário de 20 anos, Neymar chegou ao centésimo gol na carreira num jogo pelo Santos, contra o Palmeiras, em Presidente Prudente. Mas a festa foi toda do Verdão, que virou o jogo e venceu por 2 a 1, gols de Fernandão e Maranhão (contra).

Carrossel 100 Anos Santos x Palmeiras (Foto: infoesporte)

Fonte: Globo Esporte